segunda-feira, 28 de junho de 2010

Direção de arte

Diferente dos filmes convencionais, “Xingu”, além de precisar ser filmado em muitos lugares em que a natureza esteja intocada, muitas locações têm de ser construídas. Quer dizer, temos que escolher um recanto, ou uma beira de rio, ou uma mata, para aí produzirmos a casa ou casas que compõe(m) um determinado set. Temos que fazer assim, pois os locais onde a história dos irmãos Villas Bôas se passa, ou não existem mais, ou foram profundamente modificados.
Desde o princípio do projeto ficou claro que não seria possível filmar tudo dentro do Parque do Xingu. Por essa razão, partimos para procurar nosso Xingu cenográfico nos estados de Mato Grosso e Tocantins. Nossa intenção é rodar o essencial no Parque e completar as filmagens em locais parecidos.
Nesta fase de pesquisa de locações, o maior problema que temos encontrado é descobrir locais onde não haja desmatamento causado pelos tratores da agropecuária, e/ou onde as cidades não tenham sujado os rios.
No fundo, ao que parece, o Brasil é um “Xinguzão”, sendo atacado por todos os lados pelo nosso progresso.
Cassio Amarante – Diretor de Arte

Direção de Arte from Xingu O Filme on Vimeo.








Mapa de arte do Posto Leonardo












Maquete do Posto Diauarum













Croquis de arte













Maquete cenográfica do Posto Leonardo















Construção do cenário do Posto Leonardo em São Félix do Tocantins












Posto Leonardo agora quase pronto

3 comentários:

Adelino disse...

oi,
me chamo Adelino Mendes, sou antropologo, mas antes disto, sou amigo dos villas, desde muito cedo, criança ainda, dediquei a minha vida ao estudo da antropologia, sempre sonhando em poder me aproximar do Xingu, trabalhar ao lado dos índios, ajudar as sociedades que desde tempos imemoriais povoam as cabeceiras de "Mavutsinin".
Gostei de saber do projeto, caso queiram alguém que conheça a histórias dos Villas, pode contar comigo.
Sou amigo de Marina, Noel e Villinha, Orlando era meu padrinho, Claudio uma espécie de herói, foi muito bom, conviver com os irmãos, estou ancioso para ver o resultado deste projeto.
Atualmente estudo a cultura material dos alto xinguanos, é minha tese de mestrado.
Em agosto estarei no Kwaryp dos Kalapalo, com Pira, Aritana, Barriga e outros amigos.
meu e-mail é
adelino.rocha@terra.com.br

Gostaria de participar, quem sabe não nos encontramos no coração do Brasil.
abraços e boa sorte!!
Adelino
na esperança de ajudar!!

Brisa disse...

saravá equipe!
que tracem um caminho maravilhoso por essas bandas daí. o melhor do brasil a ser descoberto...
muita luz!
estamos todos torcendo.
voltem logo.

Jorge Dersu disse...

O tema é muito bom. Xingu. Aprofundar ainda mais na alma do país, faz-se necessário sempre. Desejo muito trabalho bom e sorte para todos. Cheguei aqui, através de um link postado pela Anna Muylaert no Facebook. De antemão agradeço a oportunidade de poder acompanhar o processo da realização do filme. Meu afeto e calor OM BABAJI Jorge Dersu ASHÉ